Sábado - Manaus - 15 de dezembro de 2018 - 03:27

MANAUS-AM

Susam intensifica ações de diagnóstico e tratamento da Tuberculose para marcar dia de combate à doença

Em 2017, foram diagnosticados 3.117 novos casos de tuberculose no estado

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 12 de março - 09:08

No Amazonas, em 2018, foram diagnosticados 311 novos casos

Foto: Ministério da Saúde

Durante todo este mês, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) estará intensificando as ações de combate à tuberculose, para alertar a população sobre a doença e o tratamento para cura. A programação é alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose (24 de março) e inclui, além do reforço nos atendimentos para diagnóstico, a promoção de palestras informativas, com campanhas em Manaus e no interior do Amazonas. 

Referência no tratamento à doença, a Policlínica Cardoso Fontes,  localizada na rua Lobo D'Almada, Centro da capital, dará início às atividades alusivas à data, a partir desta quarta-feira, 14, até o dia 21, intensificando as ações de prevenção, com prioridade para exames de diagnóstico. Durante toda a semana, na unidade, serão realizadas atividades informativas, como cine-fórum, palestra sobre cuidados, sintomas, prevenção e tratamento. 

Segundo o secretário estadual de saúde, Francisco Deodato, um dos objetivos da atual gestão é fortalecer as políticas públicas de prevenção para reduzir o número de casos da doença.  No Amazonas, em 2018, foram diagnosticados 311 novos casos. “Uma das nossas políticas de governo é fortalecer a atenção básica, em conjunto com as secretarias municipais, para diminuir os casos da doença. Por isso, temos nos reunidos com representantes de cada município, para analisar de que formas podemos trabalhar em conjunto, com essa perspectiva”, ressalta. 

Em 2017, foram diagnosticados 3.117 novos casos de tuberculose no estado. As atividades da programação da Susam estão sendo realizadas por intermédio de parcerias com as Secretarias Municipais de Saúde da capital e interior, o Comitê de Controle da Tuberculose  no Amazonas, e a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM). 

Capital 

A programação em Manaus inclui, ainda, a caminhada temática “Amazonas livre de tuberculose - abrace essa causa”, que será realizada no dia 23 de março. A concentração será às 8h, na Praça Heliodoro Balbi, conhecida popularmente como Praça da Polícia. O  percurso inclui passagem pela avenida 7 de setembro, subindo a avenida Eduardo Ribeiro até a Praça do Congresso, onde, neste mesmo dia, haverá exposição, parte da programação.

Interior 

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, por meio do Programa Estadual de Controle da Tuberculose (PECT), fez a abertura, da programação alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A primeira ação foi no município de Rio Preto da Eva, a 57 quilômetros de Manaus. No local, foi realizado Inquérito de Tuberculose, com busca ativa de casos que devam ser encaminhados para tratamento.

O município de Fonte Boa, a 887 quilômetros de Manaus, está recebendo o  Seminário de Manejo da Tuberculose,  a partir desta segunda-feira, 12, até sexta-feira, 16. A atividade é provida pela Susam, com a FVS e a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) Fonte Boa. 

Para alcançar os 61 municípios do interior, no dia 21 de março, às 17h, membros do Comitê Estadual de Tuberculose participarão de uma videoconferência que será transmitida pelo Centro de Mídias da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Sintomas da tuberculose 

Emagrecimento, canseira, febre baixa no final do dia, suor à noite e tosse com expectoração são os sintomas da Tuberculose. Podem também existir gânglios no pescoço. A tuberculose não pode ser detectada somente por um exame físico. Se confundida com uma gripe, por exemplo, vai evoluir durante 3 a 4 meses, sem que a pessoa infectada saiba, ao mesmo tempo em que transmite a doença para outras pessoas.

A coordenadora do Programa Estadual de Controle da Tuberculose, Marlucia Garrido, da FVS, ressalta que a doença é um sério problema de saúde pública, que pode atingir todas as classes sociais e faixas etárias. “Tosse por mais de quinze dias, acompanhadas ou não de cansaço, perda de peso e febre no final da tarde são os principais sinais da doença, que é infectocontagiosa e transmitida por vias aérea, de pessoa doente sem tratamento para pessoa sadia”, explicou.