Terça-feira - Manaus - 22 de outubro de 2019 - 20:55

DIVERSÃO

SEC recebe propostas para o “Programa Espaço Aberto” até terça-feira

Os Centros Culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé, espaços considerados “multiuso”, estão integrados ao programa

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 6 de novembro

A programação será definida entre a secretaria e o artista, desde que o pedido não destoe da área cultural.

Foto: Divulgação/ SEC

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) recebe, até terça-feira (7), propostas para o “Programa Espaço Aberto”, que vai ocupar os espaços culturais do órgão com uma programação diversa nos meses de novembro e dezembro.

Segundo o diretor dos Centros Culturais da SEC, Taciano Soares, as propostas devem conter descrição da atividade a ser realizada, sugestão de data, local e horário para realização do evento, um breve currículo dos idealizadores e informações para contato (nome, endereço, e-mail e telefone). No envelope, é preciso identificar o documento como “Proposta de Ocupação para o Programa Espaço Aberto – Modalidade Permissão de uso, sem ônus”.

Os pontos de entrega são Secretaria de Estado de Cultura (Avenida Sete de Setembro, 1.546, Centro, anexo ao Centro Cultural Palácio Rio Negro); Centro Cultural Povos da Amazônia (Praça Francisco Pereira da Silva, antiga Bola da Suframa); Centro Cultural Palácio da Justiça (Avenida Eduardo Ribeiro, 901 – Centro); Sambódromo (Av. Pedro Teixeira, 2565 – Flores); Usina Chaminé (Av. Manaus Moderna s/n – Centro) e Teatro da Instalação (Rua Frei José dos Inocentes, s/n – Centro) ou via e-mail, no endereço ocupacaoespacoaberto@gmail.com.

“Temos recebido as mais variadas propostas, ensaios, oficinas, espetáculos, eventos de ajuda a desabrigados, lançamento de livros e exposições. Isso reflete o quanto podemos potencializar o uso dos nossos equipamentos culturais e, com isso, poderemos traçar estratégias de atendimento para o Edital de Ocupação 2018” afirma Taciano.

O diretor reforça que o “Programa Espaço Aberto” é um projeto piloto, em caráter experimental, importante porque, a partir dele, será possível mapear reais necessidades das classes artísticas e programar o Edital de Ocupação 2018.

Ele destaca ainda que os Centros Culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé, espaços considerados “multiuso”, estão integrados ao programa, com todos os equipamentos disponíveis, assim como o Centro Cultural Povos da Amazônia e os teatros de difusão Gebes Medeiros, Jorge Bonates, Instalação e Américo Alvarez.

“Estamos ouvindo demandas, mapeando artistas, produtores e possíveis parceiros, para nos aproximarmos cada vez mais”, comenta Taciano.

Conforme o diretor, o atendimento das propostas será feito a partir de quesitos como espaço na pauta e questão de interesse de ordem pública. A programação será definida entre a secretaria e o artista, desde que o pedido não destoe da área cultural.

Segunda fase 

Em 2018, o “Programa Espaço Aberto” terá uma segunda fase. Em paralelo à ocupação de novembro e dezembro, a SEC lançará o “Edital de Ocupação 2018”, que terá um desdobramento para também levar espetáculos aos centros comunitários da periferia e do interior.