Segunda-feira - Manaus - 17 de junho de 2019 - 07:19

MANAUS-AM

Prefeitura quer alugar sítio na AM-010 para retirar venezuelanos de área pública

Atualmente, 180 venezuelanos moram de forma improvisada no entorno da rodoviária de Manaus

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 21 de mai - 11:01

Apesar das condições precárias, os refugiados persistem em permanecer no local 

Foto: Matheus Sampaio

Thiago Fernando - Da Redação

Camas improvisadas com lonas espalhadas sobre a grama, massa de pizza pré-assada crua acompanhada com café para alimentar as crianças e fogão à lenha adaptado no canteiro da alça que liga a Avenida Djalma Batista com a rua dos Franceses. É assim que cerca de 180 venezuelanos – indígenas da tribo Waraos e não indígenas –  estão vivendo nos arredores da Rodoviária de Manaus, zona Centro-sul. Apesar das condições precárias, os refugiados persistem em permanecer no local ao invés de aceitarem a proposta da prefeitura de levá-los para abrigos.

De acordo com a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), atualmente, 762 venezuelanos estão acolhidos em três espaços acolhimento provisório nos bairros Alfredo Nascimento, Centro e Coroado, sendo desse total 317 crianças.

A prefeitura ainda informou que já disponibilizou novas vagas para os refugiados presentes na Rodoviária, todavia, eles preferiram permanecer no local.

Sítio

Durante o seminário “Refugiados, Migrantes e Vulnerabilidade: Compartilhando Experiências e Fortalecendo Respostas na América do Sul”, promovido pela Embaixada da França no Brasil, Cooperação Regional Francesa para a América do Sul e a Agência da ONU para Refugiados (Acnur), o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, reafirmou a proposta de alugar um sítio no km 53, da AM-10, para o acolhimento rural dos Waraos.

Ainda não há detalhes onde será este espaço, mas com o pedido do prefeito Arthur Neto, algumas áreas já devem começar a ser estudadas para abrigar os venezuelanos.

Dos refugiados presentes na área, sua maioria é formada por crianças de até cinco anos e mulheres. Sem banheiro, eles usam as dependências da rodoviária para fazer suas necessidades.

Desde o começo da crise no país vizinho, a Policia Federal já registrou 100 mil pedidos de refúgio e 64 mil pedidos de residência de venezuelanos, no Brasil. Para o representante da Acnur, Paulo Sérgio Almeida, é natural a escolha de Manaus como local de acolhimento devido a sua localização e estrutura.

No total, mais de 3 milhões de venezuelanos já deixaram o seu país.