Sábado - Manaus - 20 de outubro de 2018 - 15:54

MANAUS-AM

Praciano aceita ser vice na chapa de David Almeida

O ex-deputado federal disse que a decisão é motivada pelo fato de não querer acabar com os sonhos de outros companheiros de partido

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 10 de agosto - 08:32

Convenção já havia escolhido que Jorge Guimarães seria o vice

Foto: Reprodução/ Em Tempo

O ex-deputado federal Francisco Praciano (PT) recuou da decisão de voltar para o Estado do Ceará, depois de ter sido impossibilitado de disputar uma vaga do Senado, e aceitou ser o vice na chapa do candidato ao governo David Almeida (PSB). Mas, tudo depende da aprovação final da executiva nacional do partido, que deve se posicionar quanto ao assunto até a próxima quarta-feira, 15/08. 

Este é o prazo para que coligações e partidos enviam seus dados e dos seus candidatos, para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Com a possível alteração, o advogado Jorge Guimarães, escolhido como vice, no último domingo (5), sai de cena.

De acordo com Praciano, a intenção será ainda acomodar a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) na coligação.

“O PT não quer que eu me aposente e eu também não quero isso. Agora todas estas questões terão de ser rediscutidas pelo PSB no Estado”, disse o petista. Segundo ele, a decisão é motivada pelo fato de não querer acabar com os sonhos de outros companheiros de partido, como o deputado estadual José Ricardo (PT), candidato a deputado federal. “Ele está muito bem e eu não vou atrapalhá-lo”, acrescentou. 

Quanto a agrupar Vanessa na chapa, Praciano justificou que a representatividade deles junto à esquerda impediu que ambos fossem candidatos. Além disso, ele e Vanessa têm o compromisso de fazer palanque em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à presidência da República, mas que encontra-se preso em Curitiba, no Paraná, desde o dia 7 de abril. 

“As pessoas não podem ficar se questionando onde está o palanque do Lula, o palanque contra o golpe, contra da Reforma Trabalhista, em favor da democracia e contra o governo de Michel Temer (MDB)”, afirmou.

FONTE: Com informações do Portal Em Tempo