Quinta-feira - Manaus - 18 de julho de 2019 - 16:02

MANAUS-AM

Mulheres de presos fazem 'malabarismo' para entrar com drogas em presídios

É cada vez maior o número de mulheres pegas com drogas escondidas nas partes íntimas

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 15 de abril - 11:31

A maior quantidade, 700 gramas, foi encontrada neste domingo, 14/4.

Foto: Divulgação

Carla Albuquerque - Da Redação

Em uma semana, duas mulheres foram presas ao tentarem entrar no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) com uma grande quantidade de drogas escondida nas partes íntimas. Somente nos dois flagrantes foram apreendidos cerca de um quilo de maconha. A maior quantidade, 700 gramas, foi encontrada neste domingo, 14/4, com Lucivany Marques Alves, companheira de um detento. A apreensão foi considerada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) como a maior dos últimos anos.

Conforme a Seap, Lucivany foi apreendida ao ser submetida a revista com auxílio do aparelho Body Scan, que faz escaneamento corporal. Foi durante o mesmo procedimento, que no último dia 7, os agentes de socialização conseguiram encontra com Lídia Fernandes da Silva, cerca de 300 gramas de maconha.

As duas mulheres são companheiras de detentos. Elas foram encaminhadas ao 19o Distrito Integrado de Polícia (DIP) onde foram autuadas por tráfico de drogas. Lídia, segundo o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) já havia sido presa, em 2016, pelo mesmo crime.

Outras apreensões

Além disso, neste domingo,14/4, também no Compaj, outra mulher foi impedida de entrar na unidade prisional durante a revista com 100 gramas de drogas. No sábado, 13/4, os agentes de ressocialização do Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM 1) flagraram duas mulheres tentando entrar com drogas escondidas nas partes íntimas. Cada uma portava 49 gramas e 154 gramas de entorpecentes.

Equipes da Coordenadoria do Sistema Prisional (Cosipe) da Seap conduziram as mulheres ao Departamento Integrado de Polícia (DIP) para registro de boletim de ocorrência. Entre as medidas administrativas estão a suspensão e o cancelamento do cadastro de visitantes.

O Departamento de Inteligência Penitenciária (Dipen) da Seap disponibiliza o telefone 99297-3068 para quem quiser fazer denúncias. Todas as informações são mantidas em sigilo.