Terça-feira - Manaus - 22 de outubro de 2019 - 20:55

MANAUS-AM

Manaus registra 121 novos casos de Sarampo em uma semana

Ao todo, são 723 casos confirmados e 4.694 em investigação.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 13 de agosto

A vacinação será reforçada em escolas da rede municipal.

Foto: Reprodução

Manaus registra 723 casos confirmados da doença. São 121 casos a mais do que o registrado há uma semana. Os casos suspeitos e que ainda estão em investigação passaram de 4.167 para 4.694. Os dados estão no 23º Informativo Epidemiológico de Monitoramento dos Casos de Sarampo, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), nesta segunda-feira, 13/8.

Ao todo, desde o início do surto da doença no mês de fevereiro, Manaus registrou 5.693 notificações de sarampo, o que engloba os 723 casos confirmados, os 4.694 casos suspeitos (aguardando resultado laboratorial) e 276 casos descartados após investigação.

A Prefeitura de Manaus continua com a intensificação do combate à doença com a oferta da vacina tríplice viral, que imuniza contra o sarampo, a rubéola e a caxumba, promovendo ações como: bloqueio vacinal nas localidades com notificação de casos suspeitos; varreduras em pontos estratégicos nos bairros com maior número de casos; ações em escolas; e fortalecendo o trabalho de rotina nas 183 salas de vacina da rede municipal para a faixa etária de um a 49 anos.

Faixa etária

O novo informativo aponta também que 44,6% dos casos confirmados estão na faixa etária de até cinco anos, seguido da faixa etária de 15 a 29 anos (32,6%). Entre todas as notificações, que incluem os novos casos suspeitos e ainda em investigação, a faixa etária de 15 a 29 anos é a mais atingida, representando 50%, seguida da faixa etária de 30 a 49 anos (14,8%) e menores de um ano (14,5%).

“Os dados mostram que, considerando o número de casos suspeitos e ainda em investigação, as novas notificações da doença apresentam uma migração da faixa etária, atingindo mais jovens adultos até 29 anos. Isso é um reflexo da intensificação na imunização de crianças, mas também mostra que adolescentes, jovens e adultos precisam procurar uma Unidade de Saúde para avaliação da situação vacinal”, reforça a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), Marinélia Ferreira.

Vacinação em escolas

Em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), a Semsa vai notificar pais e responsáveis para que autorizem a aplicação do imunobiológico nas crianças que ainda precisam ser vacinadas.

”O plano a ser seguido consistirá em notificar esses pais ou responsáveis que a vacinação será realizada na escola da criança e, em caso de falta de justificativa relevante para a não aplicação do imunobiológico, a escola acionará o Conselho Tutelar para verificar o caso. Havendo resistência, o Ministério Público será notificado, estando o pai ou responsável sujeito ao pagamento de multa que pode chegar até 20 salários mínimos”, explicou o titular da Semsa, Marcelo Magaldi.

A fiscalização dos casos de crianças não vacinadas por falta de autorização é necessária, pois a imunização contra doenças contagiosas como o sarampo é direito da criança e obrigação dos pais ou responsáveis.

“Com 5.700 casos notificados, é de extrema importância imunizar nossas crianças. Trata-se de saúde pública devido ao nível de contágio da doença. A vacina tríplice viral, que protege não só contra o sarampo, mas também da caxumba e rubéola, está disponível na rotina em todas as salas de vacinação da capital, nas Unidades Básicas de Saúde e Policlínicas, basta levar identidade e cartão de vacinação da criança”, disse Magaldi.