Quinta-feira - Manaus - 17 de outubro de 2019 - 12:14

MANAUS-AM

Em Manaus, Bolsonaro diz que quer dar carta branca para policial atirar sem ser punido

"Policial que não atira em quem atira nele não é policial. Nós temos obrigação de dar retaguarda jurídica para esses bravos homens"

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 14 de dezembro

Bolsonaro falou em um trio elétrico ainda no aeroporto

Fotos: Nickson Maciel

O deputado Jair Bolsonaro (PSC) chegou a Manaus por volta das 10h50 da manhã desta quinta-feira, 14/12, e foi recebido por milhares de pessoas no saguão do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. Em seguida, seguiu pelo meio do povo até o estacionamento, onde discursou em um trio elétrico, sem fugir das polêmicas que geralmente preenchem suas falas por onde passa.

“Queria falar ao policial do Amazonas que nós vamos brigar pelo excludente de licitude. O policial militar em ação responde se atirar, mas não tem punição. Se alguém fala que eu quero dar carta branca para o policial matar, eu respondo: quero sim. Policial que não atira em quem atira nele não é policial. Nós temos obrigação de dar retaguarda jurídica para esses bravos homens, que defendem as nossas vidas e o nosso patrimônio em todo o Brasil", afirmou.

Ele continuou o discurso falando sobre a visita ao Estado e disse que foi convidado por alunos do Colégio Militar da Polícia Militar (CMPM) para a formatura da turma do 3o ano e que se sentia honrado por ter sido lembrado pelos estudantes. 

“O motivo de vir aqui foi a formatura de uma escola administrada pela Polícia Militar, um exemplo para o Brasil e só é exemplo porque tem disciplina e hierarquia lá. Um país na balbúrdia, na bagunça, na zona em que se encontra não tem futuro. O que vai tirar o nosso povo da miséria é a instrução. E as escolas da Polícia Militar são exemplos para o Brasil”, completou.

Amazônia

Ele também afirmou que, em um eventual governo, pretende explorar as riquezas da Amazônia para levar o Brasil ao topo da economia mundial. Usou como exemplo Israel, que, segundo o deputado, só tem areia, mas consegue ser uma potência quando comparado com os demais países.

“O que nós temos na região amazônica, nenhum lugar no mundo tem. O Amazonas não pode ser mais um problema para o Brasil. Eu estive em Israel. Eles não têm nada, só areia, e olha o que eles são: uma potência mundial. Amazonas, a área mais rica do mundo, tem em seu potencial de subsolo e na biodiversidade mais do que suficiente para estar no topo da economia mundial. Olhe para o Brasil, o que temos e o que nós não somos. Vamos fazer parcerias com países como esse aqui (balançando a bandeira de Israel)”, assinalou. 

Ele foi cercado desde a hora que desembarcou

FONTE: Reportagem: Nickson Maciel