Sexta-feira - Manaus - 25 de mai de 2018 - 23:16

MANAUS-AM

Veja quem são os envolvidos no esquema de venda de combustível roubado

Eles estão envolvidos em receptação de 642 mil litros de gasolina, avaliados em R$ 3 milhões

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 7 de fevereiro - 06:37

Operação aconteceu na terça-feira

Foto: Divulgação/ SSP

A Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), deflagrou na manhã desta terça-feira (06/02) a operação “Alfeu”, que culminou nas prisões de quatro homens envolvidos em receptação de 642 mil litros de gasolina, avaliados em R$ 3 milhões, subtraídos de uma empresa de transporte de combustíveis. O furto do combustível aconteceu em outubro de 2017.

Os empresários Francisco de Assis da Silva Souza, 42, e André Rabelo de Oliveira, 41, além de Adenilzo da Cunha Damasceno, 55, conhecido como “Pedrinho”, e Elizeu França Barros, 34, foram presos por envolvimento na prática ilícita. O delegado Adriano Felix, titular da Derfd, ressaltou que Francisco foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva e os outros três indivíduos em decorrência de mandados de prisão temporária, com prazos de cinco dias.

Felix explicou que a operação foi desencadeada por volta das 6h. Francisco de Assis, André e Adenilzo foram presos em pontos distintos de Manaus. Já Elizeu foi preso pelas equipes da Derfd em Manicoré, município distante 332 quilômetros em linha reta da capital.

Indiciamentos – No prédio da Derfd Francisco de Assis, André e Adenilzo foram indiciados por furto qualificado, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Elizeu irá responder por receptação. Ao término dos procedimentos cabíveis da especializada, Francisco de Assis foi conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM). André, Adenilzo e Elizeu irão permanecer na unidade policial até a conclusão dos trâmites em torno do caso.

Felix ressaltou que o vigilante da empresa foi ouvido em Termo de Declaração na Derfd e indiciado por furto qualificado. Ele foi liberado para responder ao processo em liberdade, após ter colaborado com o andamento das investigações.