Sexta-feira - Manaus - 25 de mai de 2018 - 23:33

MANAUS-AM

Vara de Execução Penal inspeciona pavilhão onde ocorreu a fuga de presos

As informações colhidas no local integrarão um relatório a ser entregue aos demais órgãos da execução penal

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 14 de mai - 16:44

O relatório da inspeção será encaminhado ao Ministério Público, à própria Seap e aos demais órgãos da Execução Penal.

Foto: Divulgação

O juiz João Gabriel Cirelli Medeiros, que integra a equipe da Vara de Execução Penal (VEP) da Comarca de Manaus, realizou uma inspeção no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM II), unidade que registrou a fuga de 35 detentos no último fim de semana. A visita do magistrado foi acompanhada pelo titular da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), coronel Cleitman Coelho. As informações colhidas no local integrarão um relatório a ser entregue aos demais órgãos da execução penal.

“Fizemos a inspeção no próprio sábado, logo no início da tarde, para conhecer a real situação da fuga, que ocorreu na madrugada daquele dia. A visita foi acompanhada pelo Coronel Cleitman, por representante da Ouvidoria da Seap e por um grupo de agentes penitenciários. Inspecionamos especificamente o pavilhão onde ocorreu a fuga, o qual já estava isolado, com os presos reacomodados em outro pavilhão. Solicitamos da Seap que informasse as medidas emergenciais adotadas para conter novos eventos desse tipo”, explicou o magistrado.

Ao juiz João Gabriel foi repassado que, naquele momento, a direção da unidade prisional já havia sido afastada, com a designação de uma nova equipe para garantir a segurança, especialmente no final de semana, além do isolamento do pavilhão onde ocorrera a fuga.

Conforme a Seap, as circunstâncias que permitiram a fuga dos detentos já estão sob investigação da Polícia Civil e também sendo objeto de um procedimento administrativo por parte da secretaria. “A VEP, por sua vez, solicitou a relação oficial dos apenados (que estão entre os fugitivos) para a expedição dos respectivos mandados de prisão”, informou o juiz João Gabriel.

O relatório da inspeção será encaminhado ao Ministério Público, à própria Seap e aos demais órgãos da Execução Penal.