Segunda-feira - Manaus - 11 de dezembro de 2017 - 16:14

MUNDO

'Se vier a guerra, o regime norte-coreano será destruído', diz Haley

Tensão entre Estados Unidos e Coreia do Norte volta a subir de tom

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 30 de novembro - 12:54

Washington garante que não procura uma guerra com Pyongyang

Foto: Ilustração

Depois de a Coreia do Norte ter lançado terça-feira (28) um novo míssil balístico, a tensão entre Pyongyang e Washington voltou a subir depois de dois meses de uma falsa calmaria.

Nesta quarta-feira, a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, foi taxativa nas ameaças dirigidas à Coreia do Norte. “Não se enganem, se vier a guerra, o regime norte-coreano será totalmente destruído”, afirmou Haley, citada pela Reuters.

No entanto, Washington garante que não procura uma guerra com Pyongyang, mas deixa bem claro que não poderá deixar passar ameaças como a da última terça-feira, "que nos colocam mais próximos da guerra", segundo Haley, em que o regime de Kim Jong-un afirma ter lançado um míssil capaz de atingir os Estados Unidos.

“Nunca procuramos guerra com a Coreia do Norte, e hoje também não a procuramos. Se vier a guerra, será devido aos constantes atos de agressão como o que testemunhamos ontem”, avisou a embaixadora norte-americana em uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Nikki Haley disse ainda ter solicitado à China para que deixe de fornecer petróleo à Coreia do Norte, deixando o regime ainda mais isolado. 

Horas antes, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou com o seu homólogo chinês, Xi Jinping, sobre a tensão na península coreana.