Quarta-feira - Manaus - 25 de abril de 2018 - 13:37

MANAUS-AM

Narcotraficante 'João Branco' é condenado a 30 anos de prisão por morte de delegado

Os acusados foram condenados por matar Oscar Cardoso Filho com vários tiros no bairro de São Francisco, zona Sul de Manaus

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 14 de abril - 10:30

O julgamento dele e dos outros três réus terminou 1h deste sábado

Foto: Divulgação

O narcotraficante João Pinto Carioca, mais conhecido como "João Branco", foi condenado a 30 anos e dois meses de prisão pelo assassinato do delegado de Polícia Civil Oscar Cardoso. O julgamento dele e dos outros três réus terminou 1h deste sábado (14). As informações são do G1.

Messias Maia Sodré foi condenado a 21 anos e 4 meses, enquanto as sentenças de Diego Bruno e Marcos Roberto Miranda da Silva foram de 25 anos e 11 meses, para cada um. O grupo foi condenado por homicídio qualificado e associação armada.

O julgamento teve início por volta das 10h desta sexta-feira (13), no Fórum de Justiça Ministro Henoch Reis, em Manaus. Durante a manhã, foram ouvidas testemunhas de acusação, testemunhas apontadas pelo Ministério Público e testemunhas que falaram sobre a motivação do crime.

Uma das testemunhas ouvidas durante a tarde, Mário José Silva Júnior, que era da coordenação de Repressão ao Crime Organizado na época do crime, apresentou aos jurados uma análise de um rastreio das localizações dos celulares dos réus no dia do crime.

Segundo as análises apresentadas, os três réus estiveram no local do crime, mas nenhuma prova física de que João Branco esteve no local foi apresentada.

As demais testemunhas que estavam programadas para falar foram dispensadas e os réus não quiseram se pronunciar.

João Pinto Carioca encontra-se preso no presídio federal de Catanduvas, interior do Paraná. Ele acompanhou o julgamento por meio de videoconferência, pois havia riscos que o retorno do narcotraficante possivelmente causaria instabilidade na segurança pública e no sistema prisional na capital amazonense. Os demais estiveram presentes no julgamento.

O crime

De acordo com o inquérito policial, os acusados teriam matado Oscar Cardoso Filho com vários tiros no bairro de São Francisco, Zona Sul de Manaus.

Segundo as investigações, o delegado Oscar Cardoso estava em uma banca de peixe quando um veículo parou no local. Os ocupantes, que seriam João Branco, Marcos Pará, Messias, Maresia e Marquinhos Eletricista, desceram e teriam efetuado vários disparos contra a vítima, sendo recolhidas no local do crime 22 cápsulas de pistola calibre 40 e 11 de pistola calibre 9 milímetros.