Quinta-feira - Manaus - 16 de agosto de 2018 - 07:38

MANAUS-AM

Manaus já tem mais de 600 moradores de rua, aponta Semmasdh

Desemprego é a principal causa do aumento dos moradores de rua.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 12 de mai - 09:40

Por mês, o serviço de abordagem da Semmasdh recebe de 20 a 25 denúncias indicando a presença de pessoas em situação de rua.

Foto: Divulgação

Está cada vez mais comum encontrar moradores de rua em Manaus. Segundo a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) mais de 600 pessoas vivem em situação de rua de Manaus. Em 2016 um levantamento da secretaria identificou 413 pessoas nessa situação na capital, entretanto, mas já se admite que esse número tenha crescido nos últimos dois anos. 

O desemprego é apontado como uma das principais causas que levam pessoas a viver nos espaços públicos. Além deste motivo, o conflito familiar e a dependências química também são causas que levam essa população as ruas. Eles ocupam os bancos das praças, calçadas, as plataformas do Bus Rapid Transit (BRT), a frente de lojas ou improvisam uma moradia embaixo de viadutos ou em outras áreas públicas. 

Situação de rua é o termo oficial usado para se referir a quem mora de fato na rua e a quem tem uma rotina de emprego, geralmente informal, e não retorna para casa, prefere pernoitar próximo trabalho. “Geralmente estão no Centro da Cidade, próximo a Manaus Moderna, são carregadores e flanelinhas, por exemplo”, conta Clícia Franco, gerente do Serviço Especializado em Abordagem Social da Semmasdh.

Por mês, o serviço de abordagem da Semmasdh recebe de 20 a 25 denúncias indicando a presença de pessoas em situação de rua. "Ligam informando que há pessoas perambulando pela rua, precisando de auxílio e nós vamos até eles", aponta.

As denúncias chegam por meio do 0800 092 1407, um serviço local, e por meio do disque 100, um número nacional. "Nós vamos até eles um vez, oferecemos o que está disponível nos nossos serviços, voltamos no dia seguinte até que eles sintam confiança. O objetivo é criar vínculo", completa Clícia.

Entre os serviços disponibilizados pela Semmasdh, está o Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua (Centro POP). Em 2017, 434 moradores em situação de rua foram atendidos, informou o coordenador do centro, Rozinaldo Silva. Por dia, 40 atendimentos são realizados no Centro POP. Alimentação, higienização, atendimento pisicossocial,  indicação para o serviço de saúde, auxílio para primeira e segunda via de documentos e vagas de emprego estão entre as ações do centro.  

Em relação ao emprego, após avaliação, a pessoas são indicadas para cumprirem expediente em órgão da Prefeitura de Manaus por meio de um contrato de trabalho que tem tempo determinado. "São uma série de critérios observados e que ajudam essas pessoas a resgatarem a dignidade", disse.  

Grupo da Sopa  

“A gente observa um aumento de moradores de rua, especialmente nas áreas do Centro. As pessoas dizem que moravam de aluguel e agora não tem mais como pagar. A principal causa é o desemprego. São indivíduos e famílias inteiras. É a crise”, diz Paulo Cesar Filho, membro de uma equipe da Fundação Allan Kardec que há 20 anos distribui sopa aos moradores de rua.  

O Grupo da Sopa é uma entidade sem fins lucrativos e vem trabalhando há mais de 20 anos em Manaus. A missão de distribuir o alimento envolve 12 equipes mais de 700 voluntários, em  vários pontos da cidade. Por dia, eles chegam a distribuir mais de 1.000 sopas. 

O objetivo da sopa solidária, segundo Paulo César Furtado é reintegrar o indivíduo em situação de rua e ou dependência química à sociedade. “O nosso foco é o amor ao ser humanos, que precisam de ajuda. A partir de colaboradores e doações todos os dias trabalhamos para poder ajudar a quem precisa, devolvendo a esses indivíduos a sua autoestima, a crença na sua transformação e na possibilidade de traçar um novo trajeto – explica Paulo.

Informe a Semmasdh quando identificar um morador de rua

Número local: 0800 092 1407

Número nacional: 100

*Ambos são gratuitos 


FONTE: Reportagem: Pedroso de Jesus