Segunda-feira - Manaus - 18 de junho de 2018 - 18:43

BRASIL

Guilherme Boulos, o líder dos sem-teto que quer chegar à Presidência

Boulos afirma que usará sua campanha para impulsionar sua bandeira pela moradia

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 7 de junho - 09:18

Filho de médicos, sensibilizou-se com a luta pelo direito à moradia e, antes de completar 20 anos, se instalou em uma ocupação do MTST em São Paulo

Foto: AFP

Aos 35 anos, Guilherme Boulos sonha em chegar à Presidência unindo movimentos sociais como candidato do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), da vereadora Marielle Franco, assassinada em março no região central do Rio de Janeiro.

Pré-candidato mais jovem às eleições de outubro, ele entra na disputa com uma trajetória marcada por contrastes: professor universitário, formado em Filosofia e Psicanálise, tornou-se coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

E, embora tenha apenas 1% das intenções de voto, recebeu um forte apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que em seu último discurso em São Bernardo do Campo, antes de ir para a prisão, em Curitiba, disse-lhe, "Você tem futuro, meu irmão", aconselhando-o a "não desistir nunca".

Boulos tem como companheira de chapa Sônia Guajajara, uma líder indígena da região amazônica.

Filho de médicos, sensibilizou-se com a luta pelo direito à moradia e, antes de completar 20 anos, se instalou em uma ocupação do MTST em São Paulo, onde nasceu.

"Algo que me incomodava muito até da esquerda, de setores da esquerda, era falar em nome do povo, defender as bandeiras do povo, mas não se dispor a escutar ao povo, a estar junto das pessoas, a viver com as pessoas", disse o pré-candidato em entrevista à AFP.

TH VIDEO

FONTE: AFP