Domingo - Manaus - 23 de setembro de 2018 - 07:05

MANAUS-AM

A fotografia perde a luz de Raimundo Valentim

O repórter fotográfico morreu de câncer aos 61 anos nesta segunda-feira, em Manaus

MÁRIO ADOLFO FILHO

Publicado em 12 de março - 14:34

Valentim era apaixonado pela arte de fazer fotografia

Acervo Pessoal

Quem conheceu e trabalhou com o repórter fotográfico Raimundo Valentim, que faleceu na madrugada desta segunda-feira (12), sabe o tamanho da perda para o jornalismo. Com passagens pelo Jornal dos Sports, pela sucursal do Estado de S. Paulo (RJ), Valentim também trabalhou nos jornais A Crítica, Estado do Amazonas, Diário do Amazonas e Em Tempo, de Manaus.

Valentim foi convidado para vir trabalhar em Manaus pelo jornalista Sebastião Reis (já falecido), quando este decidiu deixar a sucursal do Estadão, no Rio, e vir dirigir a redação de A Crítica. A parceria profissional entre os dois era tão forte, que Valentim não pensou duas vezes.

Em 2013-2014 integrou a equipe de jornalismo da então presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo e, ultimamente, fazia parte da equipe de imprensa do prefeito Arthur Virgílio. Valentim também registra passagens pela agência internacional Reuters.

Formado pela Faculdade de Comunicação Hélio Alonso (FACHA), do Rio, Raimundo Valentim trabalhou com grandes profissionais, tendo a oportunidade de colocar toda a sua sensibilidade e técnica em seus trabalhos, numa época em que as grandes escolas de Jornalismo, como o Jornal do Brasil, Jornal da Tarde, Correio Braziliense e Estadão colocavam a imagem acima do texto. Isto é, seguiam a regra de que em certos casos, “uma imagem vale mais que mil palavras”.

Raimundo Valentim tinha o olhar atento para novos profissionais que poderiam, se trabalhados corretamente, vir a se tornar grandes jornalistas. Principalmente quando a área era o fotojornalismo. Foi assim com Raphael Alves, hoje um dos mais premiados fotógrafos de Manaus, que foi convidado por ele, ainda estudante da Ufam, para integrar a redação do Estado do Amazonas.

— Eu era estudante de jornalismo e apaixonado por fotografia. Procurava oportunidade nos jornais e andei em muitas redações, mas nunca abriam as portas para um estudante sem nenhuma experiência. Um dia, perto de colar grau, durante uma pauta, ele não hesitou e me levou para a redação do Diário e disse pro Sérgio (Bartholo): “dá uma chance pra ele, eu acredito no rapaz”, conta Alves.

Quando encontrava algum repórter fazendo corpo mole para não cobrir pautas aparentemente sem importância, Valentim costumava usar uma velha frase que repetia sempre para os “focas”, jornalista que está iniciando na profissão.

— Olha a humildade, olha a humildade… Conheci um colega que foi cobrir um garoto que caiu em um poço e ganhou o prêmio Esso, dizia.

Valentim foi casado com Adna Raposo, filha do governador Gilberto Mestrinho, com quem teve dois filhos Rafael Valentin (também jornalista) e Carolina Valentim (empresária de turismo). Atualmente estava a casado com a jornalista Teresa Teófilo Valentim, com quem tem uma filha, a Valentina.

O profissional era apaixonado pelo Festival Folclórico de Parintins

Foto: Márcio Noronha